Grupo de mulheres participa de Sesssão Ordinária na Câmara de Porto Murtinho

por aurora — publicado 24/11/2016 14h25, última modificação 24/11/2016 16h48
Hoje (24) um grupo de mulheres compareceram nas dependências da Câmara Municipal em apoio à vereadora Maria Donizete Silva Dos Santos.
Grupo de mulheres participa de Sesssão Ordinária na  Câmara de Porto Murtinho

De maneira pacifica e ordeira as manifestantes assistiram a sessão ordinária

Hoje (24) um grupo de mulheres moradoras do município de Porto Murtinho compareceram nas dependências da Câmara Municipal em apoio à vereadora Maria Donizete Silva Dos Santos.

 


Ocorre que a vereadora ‘Dony’ como é mais conhecida na manha de ontem (23) registrou um Boletim de Ocorrência contra o também vereador Edicarlos Oliveira Lourenço (PSDB) que de acordo com a parlamentar teria á agredido de maneira verbal e física, na sede do Legislativo.
De maneira pacifica e ordeira as manifestantes assistiram a sessão ordinária e em seguida, realizaram a entrega um documento contendo dezenas de assinaturas a vereadora Sirley Pacheco (PSB), presidente da Casa de Leis onde cobram providencias e a cassação de Edicarlos Lourenço por quebra de decoro parlamentar.

rtyt
O documento foi aceito pelos vereadores presentes, e seguindo o regimento interno, Sirley Pacheco realizou sorteio para formar a Comissão Processante: Integrarão os trabalhos os vereadores, Ailton Sanches (Presidente); Fábio dos Santos (Relator) e Sérgio Bacha (Membro).
A presidente da Câmara Municipal, Sirley Pacheco disse que tal situação além de vexatória, ‘mancha’ o nome da instituição, a cidade e que todas as providencias legais no sentido de apurar os fatos já estão sendo tomadas.
“Nada ficará sem respostas sobre este episódio lamentável envolvendo os vereadores Donizete e Edicarlos. Agressão física, falta de compostura e desrespeito a mulher aqui em qualquer outra espaço é inadmissível. A Comissão foi formada, ambos terão amplo direito de defesa e a devida punição dos fatos ficarem comprovados” conclui.
Em tempo, a mesma agradeceu e parabenizou o grupo de mulheres que compareceu na sessão ordinária. Ressaltou que os vereadores estão sempre à disposição da população e que a Câmara é o espaço de todos os cidadãos murtinhense.
Indignada, Mirian dos Santos, ex – prefeita e atual primeira - dama do município disse a imprensa que o fato é totalmente reprovável e que o vereador Edicarlos Lourenço de Oliveira, é recorrente, e que mesmo veem praticando violência contra as mulheres e a sociedade através de uma emissora de rádio no Paraguay há vários anos.
“Chega, a Câmara Municipal tem que dar um basta nisso. Eu, por várias vezes e outras mulheres já fomos vitimas dele que usa palavra de baixo calão e profere inúmeras ameaças, inclusive disparando tiros contra cidadãos em via pública, dando capacetada em mulheres, e agora, agrediu uma vereadora fisicamente dentro da Câmara. Queremos justiça, e que esta sensação de impunida em relaçao a este indivíduo acabe aqui em Murtinho. Ele não nos representa” declarou Mirian dos Santos.
A professora, Ana Maria de Oliveira, presidente do Sindicato dos Profissionais em Educação do município também participou do manifesto contra Edicarlos Lourenço. Ela informou queo Sindicato trabalha todos os dias a violência contra as mulheres através aulas, palestras e várias outras ações.
“É um momento muito triste para Porto Murtinho. Neste espaço, aqui na Casa de Leis a violência deveria ser combatida. Esse vereador, prática violência moral, psicológica e física, constantemente. Ele, tem feito, isso com as mulheres do município, sempre. Estamos, aqui em apoio a professora Donizete e todas as outras mulheres vitimas de violência” afirmou a sindicalista.
Ana Maria Oliveira, disse que ainda representava no ato a Federação dos Profissionais e Educação ( FETMS) do MS, que amanha publicará uma nota de Repudio Contra Edicarlos Lourenço.

cvb
O caso ganhou grande repercussão em Porto Murtinho e em todo o MS através das informações veiculadas pelos meios de comunicação. Indignadas, mulheres de todos os segmentos da sociedade murtinhense usaram as redes sociais como forma de protesto e até um grupo denominado “ Juntas seremos mais fortes” no aplicativo watts foi criado.

O vereador Edicarlos Oliveira Lourenço não compareceu, mas justificou sua ausência junto secretaria da Casa de Leis.

Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples. Endereços web e e-mail são transformados em links clicáveis.